19/09/2019

Qual raquete ganhou mais Grand Slams em 2019?

A dramática vitória de Rafael Nadal sobre Daniil Medvedev no US Open encerrou o calendário dos torneios do Grand Slam em 2019. Como se sabe, no masculino Nadal e Novak Djokovic dividiram ao meio as conquistas, com duas cada; e no feminino o equilíbrio foi ainda mais acirrado e cada troféu ficou nas mãos de uma jogadora diferente. 
 
Se, no entanto, houvesse uma competição entre as principais raquetes do mundo do tênis para ver qual levaria mais Grand Slams no ano, não haveria qualquer dúvida sobre quem foi a grande vencedora da temporada - pelo menos em simples.
 
O time da Head emplacou quatro troféus e três campões diferentes. Djokovic levou na Austrália e em Wimbledon; Ashleigh Barty faturou Roland Garros; e Bianca Andreescu triunfou em Nova York. 
 
Mais curioso é que os três usam a mesma família de raquetes: a Speed, uma das jóias da marca. 
 
Na sequência, quem também fez bonito foi a Babolat, com os dois títulos da Pure Aero empunhada por Rafael Nadal. O ponto alto veio em Roland Garros, quando o espanhol derrotou o austríaco Dominic Thiem, principal atleta a usar a Babolat Pure Strike.   
 
Já a Wilson e a Yonex não tiveram suas temporadas mais fortes.
 
A fabricante japonesa começou o ano com tudo, ao ver Naomi Osaka conquistar o título na Austrália com sua Ezone 98, mas parou por aí. 
 
A marca americana, por sua vez, só brilhou em Wimbledon, quando Simona Halep bateu Serena Williams, numa partida em que ambas usavam a Wilson Blade. O sabor poderia ter sido ainda mais doce se na chave masculina Roger Federer, com sua Pro Staff RF 97, não tivesse deixado escapar dois match points na decisão. 
 
Na semana que vem, acompanhe uma análise dos segredos da Head Speed, a grande vencedora do ano. 
 
Caso tenha se interessado por uma das raquetes em destaque, confira os boxes abaixo ou navegue pela loja para conhecer as ofertas. 
 
Disclaimer: As raquetes usadas pelos profissionais não são idênticas às comercializadas no varejo. Na maioria das vezes, são customizadas para os atletas. Em alguns casos mais extremos, a pintura da raquete não corresponde exatamente ao modelo usado pelo jogador. É o caso de Barty, que usa uma versão antiga da Speed, mas que recebe o "paint job" da versão vigente, a Graphene 360 Speed MP - um dos carros-chefes da estratégia comercial da Head no momento.  
 
   
(11) 97617-5435